quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Os teus sentidos...

 
Na tua palma da mão,
uma maravilha sem fim.
São linhas que falam a verdade  em silêncio.
 
Nos teus olhos
uma suave claridade
que vem da tua alma.
 
Na tua boca
os sentidos se encontram
nas palavras.
 
Brisa

11 comentários:

  1. Sabes que viria logo para ler o que escreveste e comentar, à minha maneira, assim diz a canção.

    Olá, querida Brisa!

    Escolheste um pseudónimo tão suave, tão melódico e tão bonito! Provavelmente, ora provavelmente, tenho a certeza, como tu, mas ainda não nos brindaste com uma foto tua, mesmo só rosto. Um dia, irás surpreender-nos.

    O que escreves, em geral, é de pequena "estatura", mas com muita elevação e conteúdo. Então, tudo nele te apraz e te seduz. Há pessoas assim! Olha, e como diz o poema brasileiro: "que seu eterno, enquanto dure".

    Boa sexta e excelente fim de semana.

    Beijos com estima.

    ResponderEliminar
  2. Tenho de comentar a foto, a k encima o poema, pke está de acordo com estes dias, que ainda deveriam estar quentinhos, mas que já anunciam o outono. Agora, por isso, o Outono já teria começado?
    A miúda da imagem está gira e os chapéus vão continuar a usar-se, como no ano passado. Pra semana, vou ver as novas tendências.

    Beijinhos e vai aparecendo. Thanks!

    ResponderEliminar
  3. Ó Brisa, tu desculpa por o meu comentário ser "às mijinhas", mas não sei se ouviste o vídeo k coloquei (coloco, quase sempre) no final do blogue. Não me lembro se te pronunciaste ou não, ou se te pretendes pronunciar. Está à vontade.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Olá, Ó Linda!

    já te vi, já te vi! Fui visualizar a publicação de 2011, por ti indicada, e achei-te mega natural. A tua camisola, vermelha de paixão, contrasta com a esperança do verde da relva, que sempre nos espera, e onde me gosto de deitar, qdo ela está seca.
    Estás tão natural e fresca! Assim, naquela pose, pedes paz, o céu cá pra baixo ou uns braços para te aconchegarem? Tudo, preferencialmente, deduzo.

    Bem, depois fui "cuscar", assim dizem algumas criaturas, a quem preciso de ensinar "Formação para a Cidadania", o teu Facebook, e aí, vi várias fotografias tuas. Olha, naquela em k estás ao pé de um canhão, devias ter feito 18 anos, há poucos dias. Verdad? Estás guapíssima, mujer (isto é o k faz eu ter comentadores/as, em Língua Espanhola, e portanto lá vou aprendendo unas palabritas).

    Já sei k queres saber impressões, ou tu não fosses mulher: achei-te mto gira, vestes jovialmente e tens o à-vontade das mulheres do norte, contrariamente às do sul, às quais pertenço (sou alentejana, mas vivo em Lisboa/arredores desde os 2/3 anos). Basta olhar os meus olhos e a minha tez, e vês logo aquele misticismo com algum mistério, que os Árabes deixaram no sul de Portugal.

    Olhando o teu rosto, notam-se as marcas (não te aflijas, porque não quero dizer rugas), mas sim traços da fisionomia celta, povo k esteve na tua província alguns séculos. Pele clarina, olhos que tendem para o claro, também, embora possam até ser castanhos e pouco ou nenhum Photoshop. Naturais como a natureza, ao contrário de nós, k nos tapamos, no verão, para não nos queimarmos. As nossas origens são completamente opostas às vossas.

    Não sei se já disse tudo, mas se não disse, acrescento depois. Estou mais habituada a ouvir do k a falar.

    Agradeço a tua visita e comentários, embora repartidos, mas, acredita k até gosto assim. Gosto de etapas, em tudo, e não tudo de uma vez só. Perco o interesse, se assim acontecer.

    Beijinhos e bom fim de semana, sem hífens, nem hiatos.

    PS: acho k vai ficar neste comentário, e não sei a razão, um grande espaço vazio em baixo.


























































































































































































































































































































































































    ResponderEliminar
  5. Oiçam este poeta de tostão
    Que já prometeu e pediu uma mão
    Oiçam a palavra salgada de saliva
    Não tenho muito lugar, em ti, paixão


    Passei para te desejar uma radiosa semana

    Doce beijo

    ResponderEliminar
  6. O seu poema é belo.
    E diz tanto em tão poucas palavras.
    Gostei imenso, pois claro.
    Amiga Brisa, tenha um bom resto de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  7. Olá, linda Brisa!

    Estás bem?

    Que disparate de espaço em branco ficou depois do final do meu comentário. Ele há coisas! Desculpa esta situação, de k não tenho culpa, mas que tira a estética à página de comentários, lá isso tira.

    Então, o Outono começou ontem e tu já estás enquadrada, no texto e na imagem. Bem agasalhada, em todos os aspetos. Verdade?

    Qdo te for possível, publica novo post, para ultrapassarmos esta situação. Obrigada!
    Tenho novo poema. Fico a aguardar-te. Sim?

    Boa sexta e excelente fim de semana.

    Beijos e abraços.

    ResponderEliminar
  8. Vim à procura de mais, porque gosto muito de ler a sua poesia.
    Mas eu volto...
    Brisa, minha amiga, tenha um bom, fim de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. Simples e objectivo... são assim as tuas palavras... são assim os teus sentidos.

    Fascina e muito o teu jeito de ser.

    Beijo-te

    ResponderEliminar
  10. Boa noite
    Passei pelo teu cantinho para te dar a conhecer o meu modesto espaço de poesia.
    Espero que gostes. Um abraço, Ana Pereira
    http://almainspiradora.blogspot.pt/

    ResponderEliminar